Medical Express

ISSN (print): 2318-8111

ISSN (online): 2358-0429

Abstract

Unveiling the specific role of psychological and cardiorespiratory variables in the therapeutic effect of an aerobic exercise training protocol for panic disorder

Abstract


BACKGROUND: There is limited evidence regarding the use of exercise training in the treatment of panic disorder.
OBJECTIVE: To describe the role of psychological and cardiorespiratory variables in the therapeutic effect of a 12-week exercise training in panic disorder patients.
METHODS: Eleven symptomatic panic disorder patients completed 24 sessions, 2 sessions/week, 70%VO2max) aerobic exercise training in addition to regular pharmacological treatment. Assessment was performed at baseline, six and 12-week periods. Exercise training intensity was individualized according to maximal cardiopulmonary exercise testing data.
RESULTS: Patients who exercised in conjunction with pharmacotherapy obtained significant improvements in several variables. Exercise training produced a selective, rather than a general anxiolytic impact. An early (6-week) effect was observed in fear of physiological arousal, interoceptive conditioning and in the frequency and intensity of panic attacks. Smaller additional 12-week effects were found in health concerns and agoraphobic cognitions, with no significant impact in agoraphobia.
CONCLUSION: A 12-week aerobic exercise training protocol was well-tolerated and able to improve several psychological and cardiovascular indicators in most patients with panic disorders. Further studies are needed to identify the best training protocols and long-term effects of exercise, as well as interactions between cardiorespiratory and psychological variables in this context.


Keywords: Mental health, Anxiety sensitivity, Interoceptive exposure, Exercise, Cardiovascular risk.

Resumo


JUSTIFICATIVA: Há evidências limitadas sobre o uso de treinamento físico no tratamento do transtorno do pânico.
OBJETIVO: Descrever o papel das variáveis psicológicas e cardiorrespiratórias no efeito terapêutico de um treinamento físico de 12 semanas em pacientes com transtorno do pânico.
MÉTODOS: Onze pacientes com transtorno do pânico sintomático completaram 24 sessões (duas sessões por semana, 70% VO2max) de treinamento físico aeróbico, além de tratamento farmacológico regular. A avaliação foi realizada nos períodos basal, seis e doze semanas. A intensidade do treinamento físico foi individualizada de acordo com os dados do teste cardiopulmonar máximo.
RESULTADOS: Pacientes que se exercitaram em conjunto com a farmacoterapia obtiveram melhorias significativas em diversas variáveis. O treinamento físico produziu um impacto ansiolítico seletivo, e não geral. Um efeito precoce (6 semanas) foi observado no medo de excitação fisiológica, condicionamento interocepção e na frequência e intensidade dos ataques de pânico. Efeitos adicionais menores às 12 semanas foram encontrados em preocupações com a saúde e cognições agorafóbicas, sem impacto significativo na agorafobia.
CONCLUSÃO: Um protocolo de treinamento aeróbio de 12 semanas foi bem tolerado e capaz de melhorar vários indicadores psicológicos e cardiovasculares na maioria dos pacientes com transtornos do pânico. Mais estudos são necessários para identificar os melhores protocolos de treinamento e os efeitos a longo prazo do exercício, bem como as interações entre variáveis cardiorrespiratórias e psicológicas neste contexto.


Palavras-chave: saúde mental, sensibilidade à ansiedade, exposição interoceptiva, exercício, risco cardiovascular